Qual o primeiro passo para tratar a deficiência auditiva?

O que você vai ler neste post

Alguma vez você já se perguntou se realmente está ouvindo bem? A pergunta pode soar sem sentido, mas muitas vezes a pessoa com deficiência auditiva não se dá conta que não está conseguindo ouvir os sons com clareza. Isso acontece porque geralmente a perda auditiva ocorre de maneira progressiva. Isto é, começa leve e tende a aumentar aos poucos, que dificulta a identificação do problema. Saiba como diagnosticar e tratar a deficiência auditiva.

O primeiro passo para tratar o problema é procurar um otorrinolaringologista e fazer um check up da audição. Como dito acima, no início é comum a pessoa não perceber que tem dificuldades auditivas. Se a perda auditiva for diagnosticada, na maioria do casos a indicação é pelo uso do aparelho auditivo. Se este for o seu caso, o segundo passo é procurar um centro auditivo idôneo e agendar uma consulta com o fonoaudiólogo.

O fonoaudiólogo com especialização em Audiologia é o profissional que determinará a prótese auditiva mais indicada para cada paciente e participará de todas as etapas do processo. Com o diagnóstico em mãos, profissional avalia quais as características técnicas do aparelho que mais se adaptam ao usuário. A escolha é baseada no exame auditivo, anatomia do ouvido, as queixas do paciente e estilo de vida. O usuário escolhe o tamanho e modelo de sua preferência e, evidentemente, o valor que pode ser gasto na compra do aparelho.

E depois de comprar o aparelho auditivo?

Feita a escolha do aparelho auditivo, o fonoaudiólogo faz os ajustes e programação a fim de atender as demandas auditivas do paciente. O volume e direcionamento do som, por exemplo, são ajustado de forma personalizada. O profissional também orienta o paciente como manusear o aparelho, trocar as baterias, usar as funcionalidades e como fazer a higienização correta da prótese auditiva. Todos esses passos são fundamentais para obter o máximo desempenho e facilitar a adaptação.

Falando em adaptação, esse período exige do usuário uma dose extra de paciência, persistência e compreensão. Afinal, é natural que o paciente tenha a ansiedade de voltar a ouvir rapidamente os sons com clareza e nitidez. Porém, após um período de privação auditiva, o cérebro precisa se acostumar a ouvir novamente. E isso pode levar algum tempo. Cabe ao fonoaudiólogo auxiliar o paciente nesse período e, se necessário, indicar o treinamento auditivo, exercícios que alteram as estruturas do cérebro, aumentando e fortalecendo as redes neurais responsáveis pelo processamento auditivo.

Superada a adaptação, é importante fazer ajustes periódicos na programação do aparelho auditivo e realizar os acompanhamentos periódicos para avaliar um possível aumento da deficiência auditiva. Portanto, o primeiro passo para tratar a perda auditiva é o diagnóstico, seguido pela compra do aparelho auditivo e adaptação ao dispositivo. Seguindo todos esses passos você estará de volta ao caminho dos sons.

Tenha a melhor reabilitação auditiva!

O sucesso da reabilitação auditiva depende do centro auditivo e dos profissionais que participarão dessa jornada com os pacientes. Com mais de 27 anos ne experiência no mercado, a OUVI Aparelhos Auditivos conta com uma equipe qualificada de fonoaudiólogos, que proporcionem aos pacientes a melhor experiência auditiva possível.

O mesmo profissional acompanha o paciente em todos os atendimentos e estará à disposição para esclarecer dúvidas que possam surgir, além de aprimorar os ajustes sonoros dos aparelhos de acordo com as necessidades de cada usuário. O objetivo é proporcionar a reabilitação auditiva com máximo conforto e preço justo.

A OUVI é revendedora oficial da suíça Phonak, líder mundial do segmento. Com estrutura completa e atendimento exclusivo, a OUVI oferece aos pacientes um portfólio com mais de 40 soluções auditivas. Agende uma visita a uma de nossas unidades. São sete endereços nas cidades de Uberlândia (MG), Uberaba (MG), Araguari (MG), Itumbiara (GO), Goiânia (GO) e Catalão (GO). Escolha a unidade mais próxima e faça a melhor escolha!

Leia também: Perda auditiva é um dos principais fatores de risco da demência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *